• Mayra de Souza Pasin

Ácidos clareadores e rejuvenescedores

Atualizado: Abr 3


Olá pessoal! Esse é um texto de autoria própria onde eu gostaria de destacar os benefícios de alguns medicamentos que utilizamos nas prescrições dermatológicas. Respondendo assim a dúvida de uma seguidora do instagram.

A grande maioria dos ácidos não atua apenas em uma alteração específica, apresentando benefícios múltiplos como clarear, melhorar textura e outros aspectos simultaneamente. Claro que uns com maior afinidade para esse ou aquele que outros.


Começando pelos Alfa-hidroxiácidos: derivados de compostos orgânicos como plantas, frutas e cereais. Entre o grupo encontramos por exemplo:


Ácido Glicólico: extraído da cana de açucar e outros vegetais doces. Atua em nossa pele promovendo o que eu chamo de esfoliação química, e assim mostra resultados no clareamento, melhora da textura, controle de oleosidade, acne e principalmente no viço da pele. Sabe aquela pele luminosa? não confunda viço e luminosidade com oleosidade ( brincadeiras a parte). Deixa então um aspecto de pele saudável e bem nutrida. Atenção ao potencial de irritabilidade! é um tipo de ativo que costuma irritar as peles mais sensíveis, assim como a maioria dos ácidos, se não for prescrito de maneira correta na rotina.


Ácido Mandélico: derivado das amêndoas amargas, apresenta funções semelhantes ao glicólico, porém com menor potencial irritativo. Gosto bastante de indicar com a função de clareador, associado a outros ativos (sinergismo) e em forma de peelings, que podem ser usados inclusive em peles mais morenas, claro que da maneira correta para uma segurança no procedimento.


Na classe dos Beta-hidroxiácidos encontramos por exemplo o:


Ácido Salicílico: com potencial queratolítico e seborregulador ele é bastante utilizado em formulações para acne e seborreia. Possui também ação clareadora quando pensamos na "descamação" que gera.


E como último exemplo dos hidroxiácidos, cito a gluconolactona na classe dos polihidroxiácidos que apresenta funções semelhantes aos alfa e atua também na hidratação.


O Ácido Tranexâmico a princípio era utilizado de forma oral para controle de sangramentos por sua ação fibrinolítica. Posteriormente, a utilização tópica mostrou eficácia como clareador em patologias como o melasma, que em alguns casos além do componente melânico, também apresenta componente vascular em sua origem.


Retinóides: nessa classe encontramos os retinóis, ácido retinóico, retinaldeídos, entre outros.

São moléculas quimicamente relacionadas a Vit A e podem ser utilizados por via oral ( acitretina, Isotretinoina conhecida popularmente por Roacutan, entre outros) e via tópica.

Atuam através de ligação a receptores nucleares específicos nas células da pele, e assim exercerem suas funções terapêuticas. Também com amplas indicações de clareador, melhora de textura e viço, fotoenvelhecimento cutâneo, acne.


Dra... mas existe um que seja melhor que o outro? Existe alguma marca específica melhor que a outra? Realmente a resposta é: depende! Todos os ativos citados aqui são bons medicamentos e tudo vai depender da necessidade da sua pele e das características que o médico observar e achar relevante à formulação. Além do que alguns casos pedem terapias isoladas e outros terapias combinadas (como eu citei anteriormente, através do sinergismo das ações). Assim, o ideal mesmo para uma rotina bem sucedida é que se tenha acompanhamento de um especialista que fará a montagem de sua receita e seguimento etapa por etapa de acordo com as respostas e mudanças apresentadas na pele.


Abraço a todos! até breve


24 visualizações